Significação literal e contextual dos vocábulos

Significação literal e contextual dos vocábulos

Denotação X Conotação
Na linguagem coloquial, ou seja, na linguagem do dia-a-dia, usamos as
palavras conforme as situações que nos são apresentadas. Por exemplo,
quando alguém diz a frase “Isso é um castelo de areia”, pode atribuir a ela
sentido denotativo ou conotativo. Denotativamente, significa “construção
feita na areia da praia em forma de castelo”; conotativamente, “ocorrência
incerta, sem solidez”.
Denotação: É o uso do signo em seu sentido real.
Conotação: É o uso do signo em sentido figurado, simbólico.

Signo
Para que seja cumprida a função social da linguagem no processo de
comunicação, há necessidade de que as palavras tenham um significado, ou
seja, que cada palavra represente um conceito. Essa combinação de conceito
e palavra é chamada de signo. O signo lingüístico une um elemento
concreto, material, perceptível (um som ou letras impressas) chamado
significante, a um elemento inteligível (o conceito) ou imagem mental,
chamado significado. Por exemplo, a “abóbora” é o significante – sozinha
ela nada representa; com os olhos, o nariz e a boca, ela passa a ter o
significado do Dia das Bruxas, do Halloween.
Signo = significante + significado.
Significado = idéia ou conceito (inteligível)

Sentido Próprio
Diz-se da palavra que é empregada na sua significação natural. É, em última
análise, o sentido que a palavra tem originalmente.

Sentido Figurado
Ocorre quando a palavra está empregada em sentido translato, ou seja,
quando, por um processo de analogia, é empregada em sentido diverso do
próprio:
Exemplos:
A dama trazia uma flor nos cabelos. (sentido próprio)
A dama pertence à flor da sociedade. (sentido figurado)
À noite, no campo, podemos admirar as estrelas. (sentido próprio)
“A lua (… ) salpicava de estrelas o nosso chão”.(sentido figurado)

Figuras de sintaxe (confira aqui)

Elisa Oliveira

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *