Tipologia Textual – Língua Potuguesa – INSS

Tipologia textual

Texto Literário: expressa a opinião pessoal do autor que também é transmitida através de figuras, impregnado de subjetivismo.
Ex: um romance, um conto, uma poesia… (Conotação, Figurado, Subjetivo, Pessoal).

Texto Não-Literário: preocupa-se em transmitir uma mensagem da forma mais clara e objetiva possível.
Ex: uma notícia de jornal, uma bula de medicamento. (Denotação, Claro, Objetivo, Informativo).
 O objetivo do texto é passar conhecimento para o leitor. Nesse tipo textual, não se faz a defesa de uma ideia. Exemplos de textos explicativos são os encontrados em manuais de instruções.

Informativo: Tem a função de informar o leitor a respeito de algo ou alguém, é o texto de uma notícia de jornal, de revista, folhetos informativos, propagandas. Uso da função referencial da linguagem, 3ª pessoa do singular.

Descrição: Um texto em que se faz um retrato por escrito de um lugar, uma pessoa, um animal ou um objeto. A classe de palavras mais utilizada nessa produção é o adjetivo, pela sua função caracterizadora. Numa abordagem mais abstrata, pode se até descrever sensações ou sentimentos. Não há relação de anterioridade e posterioridade. Significa “criar” com palavras a imagem do objeto descrito. É fazer uma descrição minuciosa do objeto ou da personagem a que o texto se refere.

Narração: Modalidade em que se conta um fato, fictício ou não, que ocorreu num determinado tempo e lugar, envolvendo certos personagens. Refere-se a objetos do mundo real. Há uma relação de anterioridade e posterioridade. O tempo verbal predominante é o passado. Estamos cercados de narrações desde as que nos contam histórias infantis, como o “Chapeuzinho Vermelho” ou a “Bela Adormecida”, até as picantes piadas do cotidiano.

Dissertação: Dissertar é o mesmo que desenvolver ou explicar um assunto, discorrer sobre ele. Assim, o texto dissertativo pertence ao grupo dos textos expositivos, juntamente com o texto de apresentação científica, o relatório, o texto didático, o artigo enciclopédico. Em princípio, o texto dissertativo não está preocupado com a persuasão e sim, com a transmissão de conhecimento, sendo, portanto, um texto informativo.

Argumentativo: Os textos argumentativos, ao contrário, têm por finalidade principal persuadir o leitor sobre o ponto de vista do autor a respeito do assunto. Quando o texto, além de explicar também persuade o interlocutor e modifica seu comportamento, temos um texto dissertativo-argumentativo.
Exemplos: texto de opinião, carta do leitor, carta de solicitação, deliberação informal, discurso de defesa e acusação (advocacia), resenha crítica, artigos de opinião ou assinados, editorial.

Exposição: Apresenta informações sobre assuntos, expõe ideias, explica, avalia, reflete. Estrutura básica; ideia principal; desenvolvimento; conclusão. Uso de linguagem clara. Ex: ensaios, artigos científicos, exposições,etc.

Injunção: Indica como realizar uma ação. É também utilizado para predizer acontecimentos e comportamentos. Utiliza linguagem objetiva e simples. Os verbos são, na sua maioria, empregados no modo imperativo. Há também o uso do futuro do presente. Ex: Receita de um bolo e manuais.

Diálogo: é uma conversação estabelecida entre duas ou mais pessoas. Pode conter marcas da linguagem oral, como pausas e retomadas.

Entrevista: é uma conversação entre duas ou mais pessoas (o entrevistador e o entrevistado), na qual perguntas são feitas pelo entrevistador para obter informação do entrevistado. Os repórteres entrevistam as suas fontes para obter declarações que validem as informações apuradas ou que relatem situações vividas por personagens. Antes de ir para a rua, o repórter recebe uma pauta que contém informações que o ajudarão a construir a matéria. Além das informações, a pauta sugere o enfoque a ser trabalhado assim como as fontes a serem entrevistadas. Antes da entrevista o repórter costuma reunir o máximo de informações disponíveis sobre o assunto a ser abordado e sobre a pessoa que será entrevistada. Munido deste material, ele formula perguntas que levem o entrevistado a fornecer informações novas e se o entrevistado mente ou manipula dados nas suas respostas,
fato que costuma acontecer principalmente com as fontes oficiais do tema. Por exemplo, quando o repórter vai entrevistar o presidente de uma instituição pública sobre um problema quenestá afetando o fornecimento de serviços à população, ele tende a evitar as perguntas e a querer reverter a resposta para o que considera positivo na instituição. As entrevistas apresentam com frequência alguns sinais de pontuação como o ponto de interrogação, o travessão, aspas, reticências, parêntese e às vezes colchetes, que servem para dar ao leitor maior informações que ele supostamente desconhece. O título da entrevista é um enunciado curto que chama a atenção do leitor e resume a ideia básica da entrevista. Pode estar todo em letra maiúscula e recebe maior destaque da página. Na maioria dos casos, apenas as preposições ficam com a letra minúscula. O subtítulo introduz o objetivo principal da entrevista e não vem seguido de ponto final. É um pequeno texto e vem em destaque também. A fotografia do entrevistado aparece normalmente na primeira página da entrevista e pode estar acompanhada por uma frase dita por ele. As frases importantes ditas pelo entrevistado e que aparecem em destaque nas outras páginas da entrevista são chamadas de “olho”.

Crônica: Assim como a fábula e o enigma, a crônica é um gênero narrativo. Como diz a origem da palavra (Cronos é o deus grego do tempo), narra fatos históricos em ordem cronológica, ou trata de temas da atualidade. Mas não é só isso. Lendo esse texto, você conhecerá as principais características da crônica, técnicas de sua redação e terá exemplos. Uma das mais famosas crônicas da história da literatura luso brasileira corresponde à definição de crônica como “narração histórica”. É a “Carta de Achamento do Brasil”, de Pero Vaz de Caminha, na qual são narrados ao rei português, D. Manuel, o descobrimento do Brasil e como foram os primeiros dias que os marinheiros portugueses passaram aqui.

Questão

Velocidade do metrô supera muito a dos carros em SP

Os trens da Companhia do Metropolitano de São
Paulo (metrô) circulam com velocidade média até
quatro vezes maior do que a dos carros nas ruas da
metrópole. No horário de pico da noite, entre 17h e
20h, os usuários do transporte público sobre trilhos
deslocam-se a 32,4 quilômetros por hora (km/h), em
média. Enquanto isso, os paulistanos que estão atrás
do volante trafegam a 7,6 km/h, quase no ritmo de um
pedestre. Na manhã, entre 7h e 10h, os números sofrem
algumas alterações. O carro melhora seu desempenho e
atinge a velocidade de uma bicicleta, 20,6 km/h. O
metrô mantém os 32,4 km/h, conforme mostram os
dados obtidos pelo estado por meio da Lei de Acesso à
Informação. As velocidades dos carros foram medidas
pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) no
corredor modelo da cidade – Avenidas Eusébio Matoso
e Rebouças e Rua da Consolação. Circulam diariamente
pela cidade 4,2 milhões de carros. O metrô paulistano
recebe 4,7 milhões de passageiros, provenientes de
toda a região metropolitana. Embora o metrô seja mais
rápido, muitos paulistanos preferem usar carro.

Disponível em: <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/
velocidade-do-metro-upera-muito-a-dos-carros-em-sp>.
Acesso em: 7/3/2014, com adaptações.

1. (SECRETARIA DE ESTADO DA ADMINISTRAÇÃO
PÚBLICA DO DISTRITO FEDERAL/DF – TÉCNICO EM
ELETRÔNICA – IADES/2014) Quanto à tipologia, o texto lido é,
predominantemente,
(A) descritivo, pois está voltado apenas para a representação
das características dos trens do metrô e dos carros de São Paulo.
(B) narrativo, pois desenvolve uma sequência de
acontecimentos durante alguns períodos do dia em São Paulo.
(C) dissertativo, pois apresenta e analisa dados sobre a
velocidade dos trens do metrô de São Paulo e a dos carros que
circulam pela metrópole.
(D) narrativo, pois relata episódios sobre os horários de pico
de São Paulo.
(E) dissertativo, pois apresenta e discute uma opinião sobre
a qualidade do serviço prestado pelo metrô de São Paulo.

Resposta
1. Resposta: C
O texto apresenta características da descrição, mas, como é
destacado no enunciado: predomina o dissertativo, analisando
dados que dão ao autor base para argumentação.

Elisa Oliveira

Website:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *