Gestão do Conhecimento

Gestão do Conhecimento, do inglês Knowledge Management é um conjunto de estratégias utilizadas pelas empresas para o crescimento de sua competitividade e também para atingir os seus objetivos. O conhecimento é compartilhado e administrado dentro dessa disciplina.

Sua origem vem dos esforços dos pesquisadores: Ikujiro Nonaka e Hirotaka Takeuchi (Japão), Tomas Davenport (Estados Unidos), Karl Sveiby (Suécia) e outros. Já no início de 1990, esse estilo de gestão começou a ser incorporado aos modelos de gestão modernos, pois, inicialmente, o padrão japonês predominava e houve a necessidade de adaptá-los à realidade americana.

No Brasil, a contribuição dessa disciplina foi grande, principalmente, na Administração Pública, em que o Serviço Federal de Processamento de Dados (SERPRO), criado em 1964, implementou o modelo desde 1997. Foi criada, também, em 2001 a Sociedade Brasileira de Gestão do Conhecimento (SBGC) que dá incentivos a essa área no Brasil.

Conceito de gestão do conhecimento

O século XXI é marcado por transformações e, sobretudo, por conhecimento. A sociedade, em todos os âmbitos, reflete a busca pela informação, por novas tecnologias e a convergência das mesmas, flexibilidade, entre outros fatores. As pessoas aprenderam a priorizar, ou estão aprendendo a avaliar aquilo que elas ouvem, veem e sentem. Essa é a chamada Sociedade do Conhecimento ou da Informação, que de acordo com Alvin Toffler, um famoso escritor americano, é a Revolução da Informação.

Derivado desse contexto de transformações, as empresas estão em busca de profissionais responsáveis em gerir os recursos tecnológicos, humanos e informacionais e, a partir disso, dentro da Administração, surgem conceitos que auxiliam na configuração desse novo modelo organizacional.

Peter Drucker, um economista, filósofo e um dos principais estudiosos da Teoria Neoclássica da Administração, esclarece o conceito de Sociedade do Conhecimento:

“A sociedade do conhecimento é a primeira sociedade humana onde o crescimento é potencialmente ilimitado. O conhecimento difere de todos os outros meios de produção, uma vez que não pode ser herdado ou concedido. Ele tem que ser adquirido por cada indivíduo e todos começam com a mesma e total ignorância.”

É preciso entender o que é conhecimento e como ele se classifica para assim extrair o conceito. É a partir desses processos que o conhecimento surge na organização. O conhecimento é dividido em:

Conhecimento Explícito – aquele encontrado externamente, em documentos que registram esse conhecimento.
Conhecimento Implícito – tipo de conhecimento interno, encontrado na mente humana e que posteriormente pode se tornar explícito.
Conhecimento Tácito – conhecimento difícil de ser repassado.

Nonaka e Takeuchi ressaltam que esse conhecimento passa por uma espiral dentro da organização até completar o seu ciclo, para que o conhecimento seja aplicado e implementado a outras áreas da organização.

Dentro disso, a Gestão do Conhecimento possui três elementos importantes: dado, informação, conhecimento. Dado são registros destinados a criação da informação. Já a informação são dados decifráveis com significado. Conhecimento é aquilo que as pessoas adquirem durante a sua vida como costumes e crenças.

Contexto histórico da Gestão Empresarial

Para que seja implementado um novo modelo de gestão dentro das empresas é preciso entender o contexto histórico que deu origem a esse atual. As práticas de gestão empresarial surgiram na década de 70. Primeiro, na Revolução Agrícola, que ocorreu até 1750. Depois a Revolução Industrial, de 1750 a 1970 e a partir dessa data, surgiu a Revolução da Informação.

Os modelos de gestão anteriores podem ser encontrados dentro das Teorias da Administração, que são a Administração Científica, Burocrática, das Relaçõs Humanas, entre outros. Já os novos modelos de 1970 a 1990, temos como exemplo a Administração Japonesa, Participativa, Empreeendedora e Holística. Os modelos emergentes, a partir de 2000, são definidos pela Empresa Virtual, a Gestão do Conhecimento, os Modelos Biológicos, Quânticos, da Complexidade e a Teoria do Caos.

Isso mostra que a medida que a sociedade evolui, novas formas de gestão surgem para suprir a demanda da época. Cada modelo possui suas especificidades na busca de resolver os problemas encontramos dentro das gestões empresariais.

Portanto, a gestão do conhecimento, surgiu para ajudar a organização a tomar decisões mais eficientes, certas e estratégicas com relação ao seu público, sabendo o gestor identificar a origem da informação, fazer a administração dos dados e gerenciamento do conhecimento.

Reflita:
Para que haja uma correta gestão do conhecimento é preciso ter uma gestão da informação. Há empresas que não sabem fazer a administração de suas informações, acarretando na perda de posicionamento no mercado.

Etapas da Gestão do Conhecimento

A Gestão do conhecimento ao se preocupar com as estratégias das empresas definiu cinco etapas:

Gestão de Competências

competência é definida como um conjunto de conhecimentos, habilidades, comportamentos e atitudes para que uma pessoa possa desenvolver atividades administrativas, bem como, atingir resultados diferentes ou preparar uma pessoa para agir com excelência em qualquer área do trabalho. Esse conceito está estreitamente interligado a Gestão de Recursos Humanos.

Gestão do Capital Intelectual

O capital intelectual é aquele que agrupa todo o conhecimento da organização, a fim de de garantir maiores vantagens competitivas. Isso é feito por meio do:

Capital Humano – capacidade da empresa de poder abastecer as demandas do mercado;
Capital Estrutural – reunião dos processos, procedimentos, conceitos, tecnologia, etc. de uma empresa;
Capital de Clientes – importância dos relacionamentos da empresa com o seu público externo e interno.

Aprendizagem Organizacional

São os recursos disponibilizados pela organização para que haja aprendizado contínuo. Nela, os funcionários procuram sempre aprimorar o seu conhecimento trazendo novos conceitos que ajudam a empresa a se reciclar e a criar novos métodos. Nessa etapa, as pessoas devem desenvolver:

Pensamento sistêmico – pensar na organização, na sociedade e nos impactos das ações realizadas sobre ela);
Domínio pessoal – consiste no aprofundamento da visão pessoal);
Modelos mentais – modelos que nos ajudam a interpretar o mundo e a forma de agir);
Visão compartilhada – compartilhar o conhecimento para que todos cheguem num objetivo comum;
Aprendizado em grupo – processo que auxilia um grupo ou equipe a desenvolverem um pensamento único, de conjunto.

Essas práticas auxiliam a desenvolver um ambiente de trabalho de qualidade e eficiente.

Inteligência Competitiva

É transformar informações públicas em estratégicas, a fim de aumentar as forças da organização e auxiliar na tomada de decisões da empresa, como: posicioná-la no mercado, verificar informações sobre concorrentes, clientes, fornecedores, etc.

Educação Corporativa

Desenvolver treinamentos, palestras, eventos e reuniões para a qualificação dos funcionários. Isso ajuda no desempenho e na conquista do censo crítico e estratégico que atendam as necessidades da empresa e do funcionário.

Profissional de gestão da informação

O gestor responsável deve ter competências específicas para realizar essa atividade. Existem tanto pessoas com formação específica em Gestão da Informação, quanto outros profissionais que fizeram graduação em administração, informática, ciências econômicas, etc.

O gestor deve identificar as necessidades e saber como utilizar corretamente a informação; deve realizar estratégias que facilitam o acesso ao banco de dados; deve avaliar o fluxo de informação e documentos; deve realizar consultoria e assessoria no tratamento das informações.

Além disso, o gestor é responsável por ter um relacionamento próximo com a diretoria da empresa; fazer a integração de sistemas, acompanhamento de anteprojetos, ter conhecimento de programas e hardwares no mercado, conhecimento da arquitetura das redes, ministrar palestras e cursos, entre outras funções. São exemplos, de ferramentas para gestão do conhecimento, as intranets, os portais corporativos, o Gerenciamento Eletrônico de Documentos – GED, Datawarehouse, etc.

Outra ferramenta atual que está sendo utilizada na Gestão do Conhecimento são as redes sociais. No 10º Congresso Brasileiro de Gestão do Conhecimento, realizado em 2011 constatou-se que um dos temas da Administração Pública é o uso das redes sociais. Para esse setor esse modelo de Gestão pode trazer maior transparência na comunicação, além de auxiliar na arquivologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *